quinta-feira, 21 de março de 2013

MASSAGEM HOLÍSTICA UNIVERSO ATMA

MASSAGEM HOLÍSTICA UNIVERSO ATMA

(contactos e preço no final deste artigo)

Holístico significa que algo está completo, total, em união, indivisível, significa que compreendemos que os espinhos e as rosas nascem da mesma fonte: uma roseira. Significa que se olharmos só para os espinhos ou só para as rosas, não temos a visão Holística. Tal como o Reiki, as terapias de regressão com Reiki, a meditação UniAtma, os cursos de Reiki, o yoga ou as massagens, aqui o nosso objectivo/missão/ aprendizagem/ensinamento é Religar. A expansão do Amor, de forma a não excluirmos nada, sentir a totalidade e inclusão de TUDO O QUE É!

A Roseira com todas as suas flores e espinhos.

Há muitas modalidades diferentes de massagem e de terapias corporais que podem ajudar com imensas questões de saúde física e emocional, ajudar-nos a dissolver a “armadura” da tensão muscular crónica, má postura e dores que podem ser manifestações de memórias ou traumas.
A grande maioria destas questões pode ser resolvida com a alimentação adequada, exercícios respiratórios, meditação, sessões de trabalho energético ou psicológico. Mas integrar tudo isto com Reiki e com um trabalho mais intenso com o corpo, como massagens ou yoga, pode ajudar MUITO, como posso testemunhar tanto do lado de receber, como do lado de oferecer massagens profissionalmente.
Percebi com o tempo e a prática que muita gente vê a Massagem como um luxo ou um miminho e não como uma verdadeira ferramenta que tem um enorme potencial de CURA.

Receber massagens duma forma regular funciona, objectivamente, como medicina preventiva, ajuda a religar corpo e mente, e por isso podemos pôr a funcionar melhor todos os nossos sistemas: imunitário, circulatório, clareza mental, fluxo de energia vital (KI). Sentimo-nos melhor na nossa pele e adquirimos uma maior consciência do que é que se anda a passar por “dentro”.

Como em tudo na vida também se podem causar danos com massagens, mas isto acontece sobretudo se, entre terapeutas e clientes não houver um bom “encaixe”. Pela minha experiência, devo dizer que é melhor não receber massagem nenhuma do que receber uma má massagem. Entenda-se por má massagem, aquilo que pode acontecer quando um terapeuta tem falta de sensibilidade, conhecimentos ou competências anatómicas ou outras. Também é óbvio que o que pode servir muito bem para uma pessoa, não é nada adequado para outra. A sensibilidade dos terapeutas é muito importante para poder adaptar e variar de forma a “encaixar” com as necessidades da pessoa. Saber “Dar” implica ensinar as pessoas a “Receber”.
“Receber” massagens também é algo que vai evoluindo e que também precisa de prática, não se trata só de deitar na marquesa ou no futon. É importante usar e trabalhar com a respiração, e relaxar, entregando-se.

Muitos dos nossos padrões de tensão são inconscientes, por isso mesmo, entrega e relaxamento são coisas muito mais fáceis de dizer do que fazer. Eu abordo sempre este tema com as pessoas com quem trabalho. É um processo, e como tal, pode desenvolver-se muito melhor em séries de sessões que permitem à pessoa conhecer o trabalho do terapeuta, e permitem que o terapeuta se familiarize com o corpo e os assuntos específicos de cada pessoa.

Apresento alguns exemplos da ajuda que as massagens podem providenciar:

- Libertação de tensões e dores musculares
- Melhorar a circulação
- Limpeza de toxinas do corpo
- Redução do cansaço físico e do stress mental
- Melhorias na capacidade de concentração e clareza mental
- Relaxar e acalmar músculos com lesões, cansados, ou que trabalham em excesso
- Melhorar a postura
- Baixar a tensão arterial
- Libertação de bloqueios energéticos
- Alívio para dores de cabeça e enxaquecas
- Ajuda para dormir melhor
- Limpeza de bloqueios emocionais e espirituais
- Acalmar a Mente
- Alívio para a ansiedade, depressão, insónia
- Aumenta as defesas imunológicas e ajuda na eficácia do metabolismo do corpo
- Promove uma respiração fácil e mais profunda.

A Massagem Holística Universo Atma engloba uma utilização de várias modalidades diferentes, que fizeram parte da minha formação e agora são usadas intuitivamente e sem fronteiras entre técnicas, conhecimentos e o Reiki.
Para uma melhor compreensão, descrevo algumas características específicas de cada modalidade separadamente, para abrir o leque de possibilidades, mas volto a explicar que a massagem que oferecemos é uma combinação das várias técnicas, que passamos a apresentar podendo uma sessão incidir mais sobre uma ou outra técnica, dependendo das necessidades da pessoa ou mesmo da preferência por esta ou aquela modalidade.

MASSAGEM TAILANDESA

“A aplicação de pressões lentas e ritmadas, e alongamentos nas 10 linhas energéticas mais importantes do corpo, usando as palmas das mãos, polegares, cotovelos e os pés. O corpo é levado para posturas como as asanas do yoga e aí movimentado e balouçado para desbloquear as articulações e facilitar a flexibilidade.
Este é um tipo de massagem que envolve alongamentos e massagem profunda nos tecidos musculares. É normalmente praticada no chão, com roupas confortáveis que permitam todos os movimentos. Não se usam óleos, o terapeuta encosta-se e usa todo o seu corpo e peso para algumas pressões, usa as mãos com os cotovelos esticados para a aplicação ritmada de pressão. A massagem segue normalmente as linhas que conhecemos como Meridianos, ou Sen, ou Nadis. As pernas e os pés do dador podem ser utilizadas para apoiar e fixar o corpo da pessoa nalgumas posições. Os pés também massajam. Uma sessão típica demora 2 horas e inclui as pressões ritmadas, alongamentos, e massagens nos dedos das mãos e dos pés, nas orelhas, andar sobre a pessoa e arquear-lhe as costas em posturas de yoga (bujangasana, a cobra). Padrões e ritmos são ajustados para cada pessoa.

 REPADRONIZAÇÃO SENSORIAL

É uma modalidade que usa movimentos contínuos e passivos, como ondulações, e movimentos em câmara lenta para recalibrar a relação entre a mente e o corpo. Baseia-se nos dois ritmos mais importantes do corpo: respiração e pulsação, é profundamente relaxante para a mente e muito libertador para o corpo. Os objectivos são desvelar padrões físicos muito enraizados, e que limitam a liberdade de movimentos. É baseada numa ligação mente-músculo e envolve balouçar, sacudir (como para adormecer um bebé) e mover partes do corpo na sua amplitude natural. É uma aproximação muito suave e nutridora para repadronizar a condição física. A ideia é mostrar ao corpo novas sensações de liberdade de movimentos a partir das limitações que já estão criadas pela própria programação mental. A pessoa é movida para soltar articulações, e convidada a entregar-se para criar sensações de abertura e liberdade, fluidez e alegria, (é mesmo comum algumas pessoas terem vontade de rir). Religam-se aos seus centros físico e emocional, e os terapeutas aprendem e desenvolvem ferramentas mais artísticas e elegantes.
Normalmente utilizamos sempre um ou outro movimento desta técnica em todas as sessões, mesmo quando é especificamente uma sessão para passar Reiki, porque ajuda muito a tornar o corpo e a mente mais disponíveis.”

OUTRO MÉTODO QUE EM SI JÁ É UMA COMBINAÇÃO DE VÁRIOS.

(com características de massagem Sueca, desportiva, nos tecidos mais profundos combinada com fluidez, suavidade e lentidão.)

Pode ser feita directamente sobre a pele com a aplicação de óleos, ou simplesmente, algumas destas técnicas são usadas durante qualquer massagem quando for necessário.
Massajando em profundidade, pode-se entrar nas camadas mais internas e suaves, através da libertação e amolecimento das zonas mais densas e duras à superfície, normalmente dolorosas, causadas por bloqueios no movimento interno de fluidos e de energia. Ao suavizar, estas áreas reorganizam-se, revitalizando-se com o aumento do fluxo sanguíneo, de linfa e do KI ou CHI ou PRANA (energia vital). Porque organismos vivos como o corpo Humano necessitam desta energia (CHI) para se organizarem e tratarem de si mesmos, qualquer bloqueio que haja neste fluxo interno pode vir a criar problemas de saúde a longo prazo, como dores nas articulações e músculos, restrições de movimento, e problemas de circulação. (nomeando só alguns dos mais comuns).

À medida que os padrões de tensão crónica, armazenados nos tecidos moles mais profundos, começam a abrir e a mudar, encontramos reservas de CHI que se tornam disponíveis para iniciar os processos de recuperação e cura. Esta energia que se “revela” ajuda a ultrapassar condições do corpo mais “teimosas” ou até ao momento indetectadas. Quando esta componente da massagem é feita com lentidão, torna-se num dos meios mais eficazes que conheço para aliviar dores.

Os movimentos prolongados e fluidos da massagem acrescentam integração ao processo. Tive já a oportunidade de observar muitas vezes que um toque suave, fluido, deslizante ou mesmo só encostado à pele, cria estados de relaxamento profundo.
Porque se pode dizer que a pele é literalmente como a superfície do cérebro, a pele, o cérebro, a espinal medula e os nervos evoluem no embrião a partir da ectoderme, portanto um toque deslizante e suave sobre a periferia do cérebro (toda a pele) tem um efeito profundamente integrador. A essência do toque longo, deslizante e prolongado está na ligação que existe entre a mente e todos os restantes segmentos do corpo através das sensações geradas na superfície da pele. Combinar vários métodos de massagem profunda com esta qualidade de fluidez e suavidade cria um outro método, holístico, cujas intenções não são só restaurar lesões em tecidos, mas também religar a mente com a sensação natural de pertencer a um organismo vasto e integrado, o que muitas vezes se perde devido a lesões físicas, questões de trauma emocional e todo o stress da vida em geral.

Há outras modalidades que também tiveram influência nos métodos e objectivos do trabalho que fazemos, e que têm um peso importante na nossa formação, experiência, e conhecimento, tais como o Shiatsu, Reflexologia das mãos e dos pés, e a massagem do crânio e do rosto que estão diluídas e absorvidas fazendo parte das modalidades apresentadas anteriormente.

Os centros energéticos a que nós chamamos Chacras, são um sistema complexo ligado às funções vitais do nosso organismo que nos liga à existência dos nossos outros “corpos”, pontes para o entendimento que não somos só matéria. Quando nos embrenhamos muito nas questões constantes da vida da subsistência e sobrevivência, estamos ao mesmo tempo a impedir a ligação e o funcionamento dos centros superiores, que para funcionarem e se activarem, precisam da nossa intenção consciente.
Quando nos sentimos desligados e vemos facilmente o mundo com separações e compartimentos (ciência x religião/matéria x espírito/bem x mal, etc) ficamos cada vez mais confusos, e a nossa busca pela eternidade parece cheia de bloqueios e impedimentos.

Procuramos Respostas.

Para algumas pessoas o estado de relaxamento e alívio que a massagem pode dar começa na realidade a abrir caminho para compreensões mais profundas e existenciais.
Matéria e Espírito só podem ser parte do mesmo!
Como poderíamos conhecer uma sem a outra destas “metades”?

Para marcações ou mais informações, por favor contacte:

Victor Linhares: 91 944 09 23
Ana Mota: 96 225 74 65

PREÇO:   € 45,00


quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

TABACO



Tudo na vida é Conduta. 
Viver a nossa verdade, exalar honestidade, coerência, integridade é fundamental. É viver com Consciência.  É Viver o que apregoas.


Consciência Crística(Fotografia por Sofia Marques)


Nesta categoria do nosso blog vamos expor informação que fomos recebendo e descobrindo sobre muitas das Verdades CONVENCIONAIS, e como tal, é difícil de apresentar.

Todos fazemos escolhas sobre a forma de viver a nossa vida e é difícil compreender que fomos programados para escolher mentiras e defendê-las como Ideais. Mas como poderemos escolher bem quando só temos acesso a uma opinião, que é a veiculada oficialmente? Existem outros estudos que contradizem quase tudo o que se aceitou como verdade, existe e está disponível para quem quiser saber e despertar para uma realidade mais profunda e hiper-dimensional. A nossa vivência e motivação para saber mais sobre o porquê de algumas coisas fez-nos olhar para informações novas, de espírito aberto e com capacidade de mudar aquilo que até ao momento era, para nós, a “verdade inabalável”.
Aqui não vai estar toda a informação, aqui vai estar sim, parte da informação que esperamos faça despertar a vontade de saber mais em quem nos ler. Como achamos que toda a informação deve ser investigada, mergulhámos nas ideias que, na altura, nos pareciam mesmo contra a corrente e descobrimos coisas espantosas! Repetimos que não é nossa intenção interferir em qualquer escolha de qualquer pessoa. A escolha de não investigar a informação e continuar a acreditar nas convenções, é isso mesmo: é escolha, é livre arbítrio. Fizemos experiências com o nosso corpo, à luz da investigação e confirmámos, assim, algumas das novas e diferentes crenças sobre a alimentação, a medicina,  o tabaco e a nicotina. Queremos dizer que alguma desta informação gerou a vontade de experimentar para confirmar as investigações que líamos, e assim fizemos. Não podemos aconselhar nem propor novas crenças. Só mostrar que a INFORMAÇÃO  existe, e o que mais ainda se pode vir a descobrir, porque tudo são aprendizagens e o caminho é longo.

Um dos temas que não investigámos durante mais tempo foi o do Tabaco, porque para nós era ponto assente “FUMAR MATA” e achávamos que o esforço para deixar de fumar teria que ser feito, e isso sim, provaria coerência e integridade.

Estávamos enganados! Descobrimos que a enorme campanha antitabaco não passa de propaganda baseada em interesses que não são os da saúde e da melhor qualidade de vida! WOW! Por isto não estávamos à espera!
Fizemos alguns ajustes sobre a qualidade do tabaco que fumamos e começámos a apreciar os benefícios em vez dos malefícios. Sim, os cigarros contêm substâncias causadoras de muitos problemas, mas a nicotina não é uma das nocivas! O tabaco de produção biológica e sem aditivos pode, para algumas pessoas, ser benéfico! Pode evitar algumas doenças e pode ajudar na cura e prevenção de outras!! WOW outra vez!!

Depois de anos e anos de esforço contra fumar, depois de histórias na família, de cancros e ataques de coração que se “sabia” serem provocados pelo fumo de cigarros...vamos agora culpar o quê? Afinal qual foi a origem da doença que dizem que matou os nossos pais e avós? E gente amiga e muito jovem que não deveria morrer?
E para alguns, foi mesmo deixar de fumar que abriu portas a doenças
terminais!

Continuamos, com  a tradução  dum artigo de uma médica, a Dra Gabriela Segura, e depois com um excerto de outro artigo escrito por Laura Night Jadczyk e que foi o primeiro que lemos e nos guiou para os estudos científicos apresentados. Este é uma vasta compilação de investigações que aconselhamos vivamente para quem quiser tirar dúvidas, é extenso, mas devido ao trabalho desta senhora é possível encontrar muita informação no mesmo local.
Esperamos provocar a investigação do assunto em quem nos ler. É boa ideia (achamos nós) não defender crenças sem investigar a fundação das ideias, pode ser simplesmente CONVENÇÃO e nem sequer sabemos porquê. Sim, há muitos estudos “Oficiais” que os governos apresentam para justificar as leis antitabaco. A verdade é que não são os únicos e que há interesses não revelados, para poderem exercitar Poder e nos manterem sob controlo e na ignorância.



Escrito pela Dra Gabriela Segura
Sábado, 15 de dezembro de 2012

“ Estou doente e cansada por causa da cultura antitabaco que se apoderou do mundo inteiro. Já ouvi vezes suficientes para me fartar, a frase: “não fumes, isso é muito mau para ti”. A ignorância que tais afirmações trazem é abismal, especialmente vindo de pessoas que já deviam saber mais. Assim, para todos os que já me perguntaram porque é que eu fumo, vou explicar as minhas razões neste artigo.
Descobri que os activistas anti-fumadores são intolerantes, fazem juízos de valor e são do tipo “seguidores da autoridade”. Eles acreditam e papagueiam frases carregadas de emoções, vindas directamente das propagandas antitabaco dos governos. São culpados disto, tanto médicos como não fumadores. Eles sentem-se no direito de nos “avisar”, enquanto falham em reparar no quão doentes eles parecem, e esquecem-se de que, em muitos casos, a sua saúde deteriorou-se muito quando deixaram de fumar. Graças a uma forma de pensar bastante contorcida irão mais tarde culpar os tempos em que fumavam pelas doenças graves que um dia possam vir a ter, em vez de olhar para os verdadeiros culpados das doenças modernas do nosso tempo: dietas de junk food, repletas de hidratos de carbono e a escala industrial de toxinas que asfixiou o nosso ambiente.

Sim, as mudanças na nossa alimentação, particularmente desde a introdução da agricultura mecanizada, a revolução industrial e a chegada a esta Era Moderna “iluminada”, têm sistematicamente destruído a nossa saúde. A incompatibilidade entre a nossa fisiologia ancestral - que prosperava com poucas, ou nenhumas plantas comestíveis - e a nossa alimentação corrente, está na raiz de muitas doenças ditas da civilização: doenças coronárias, obesidade, hipertensão, diabetes tipo II, cancro, doenças auto-imunes, osteoporose, etc. Mas não é disto que quero falar. O meu objectivo aqui é defender os direitos das pessoas que escolhem fumar. Pode ser surpreendente saber que enquanto a percentagem de população que fuma baixou nos recentes anos (devido a propaganda governamental), a incidência das doenças de coração não baixou. A razão, choque! Horror! É que fumar não era o verdadeiro problema!
Quase todos os fumadores que conheço se sentem culpados por fumar e planeiam deixar de fumar num dia utópico, em que a vida seja menos stressante. Pela maneira como as coisas estão a correr desejo-lhes boa sorte com esse plano! Cheguei à Europa quando ainda havia uma cultura de fumadores, e isso não era visto como o mal profundo que hoje é. As proibições europeias de fumar foram introduzidas durante o tempo da minha estadia aqui, e coincidentemente o estado geral das sociedades também se deteriorou muito durante o mesmo tempo. Será que essa  deterioração tem alguma coisa a ver com a substituição da nicotina - que é um químico que realça o acto de aprender e realça a memória - por drogas tranquilizadoras e tecnologias dissociativas da indústria farmacêutica?
Do meu ponto de vantagem na profissão médica, observo que toda  a gente e os seus amigos tomam algum tipo de comprimido calmante que entorpece as sensações, e causa mais alienação da realidade. Ultrapassa-me completamente que uma pessoa que come comida que é totalmente desadequada à sua fisiologia e depois toma medicamentos para encobrir os efeitos danosos dessa comida, pode declarar ser uma autoridade em qualquer assunto relacionado com a saúde. Eu tenho visto que tipicamente, aqueles que têm um ar mais adoentado são também os que se acham mais no direito de usar o fumo do tabaco como um bode expiatório para todos os problemas de saúde do mundo.
Lembro-me do tempo em que as pessoas fumavam nos aviões, comboios e restaurantes. Não foi assim há tanto tanto tempo! Como foi que as coisas mudaram assim tão rapidamente? Tenho colegas que me contam que costumavam fumar nos seus consultórios enquanto atendiam pacientes. Parece-me que as coisas eram definitivamente melhores nessa altura, quando ainda éramos capazes de pensar!
       O tabaco tem nicotina, que está relacionada com acetilcolina, e este facto é muito importante, como vamos aprender já a seguir.
A acetilcolina é um neurotransmissor responsável por aprendizagens e memória. Também é calmante, relaxante e um factor importante na regulação do sistema imunitário. A acetilcolina também actua como um travão para inflamações no corpo, e a inflamação está ligada a todas as doenças que se conhecem. Por exemplo, inflamação no cérebro está ligada a todas as mudanças de humor e estados de espírito conhecidos, a comportamentos e a desordens da atenção, e a todas as doenças neurodegenerativas. Os receptores da acetilcolina, também conhecidos como receptores colinérgicos, encaixam-se em duas categorias baseadas nos químicos que, ou mimetizam ou antagonizam as acções da acetilcolina nos seus muitos tipos de células alvo. Em estudos clássicos, a nicotina, isolada do tabaco, foi um dos químicos usados para distinguir os receptores de acetilcolina. É por isso que há receptores de nicotina para a acetilcolina. Algumas pessoas quando deixam de fumar sentem enfraquecimento cognitivo. Isto é devido ao facto de a nicotina actuar como mimetizador para os receptores da acetilcolina que são importantes para a aprendizagem, memória e funções cognitivas. Infusões diárias de nicotina aumentam na realidade o número de receptores de acetilcolina. É uma espécie de bênção que vem do alto (Céu), inflamações locais e sistémicas podem ser acalmadas pelo cérebro através do que é chamado o caminho colinérgico anti-inflamatório, que é um mecanismo que consiste no nervo vago e no seu neurotransmissor, a acetilcolina, um processo dependente de um receptor de acetilcolina nicotínico. A nicotina que é o prototípico mimetizador de um receptor de acetilcolina nicotínico, combate a produção de citoquinas inflamatórias e já demonstrou efeitos protectores contra o envenenamento do sangue. A nicotina também tem sido usada para prevenir disfunções renais, e para melhorar funções dos rins. Os receptores de nicotina no cérebro estão associados à plasticidade neuronal e à sobrevivência celular, razão pela qual o tabaco está ligado ao pensar melhor e à concentração.
A nicotina já foi usada para tratar colites com úlceras, uma doença que se caracteriza pela inflamação do intestino grosso. É claro em toda a literatura médica disponível, que quando se chega a este composto natural - a nicotina - os benefícios são vastos e actua como um anti-inflamatório e facilita a criação de novas células no cérebro.  Muitos médicos e anti-fumadores estão, na minha opinião, completamente iludidos neste tópico. Dizem coisas como “fumar é mau porque tem milhares de químicos, incluindo arsénico e cádmio” por amor de Deus, há de longe níveis mais tóxicos de arsénico na galinha que eles comem! Produções de aviários resultam em enormes quantidades de lixo e subprodutos do processamento das aves, que depois são usados para alimentar porcos, vacas e peixes, e estão carregadíssimos de arsénico. A perigosa concentração de arsénico que existe na água é uma ameaça global, porque isso causa mudanças genéticas relacionadas com o cancro do pulmão e com outras doenças.
Sim, o tabaco tem os seus poluentes, mas são os mesmos que se encontram na água que bebemos, no ar que respiramos e na comida para bebé, até em concentrações  muito maiores. Estima-se que cerca de oitenta mil novos químicos têm sido introduzidos na sociedade desde 1800, só algumas centenas desses é que foram testados para avaliar o seu grau de segurança; esta estimativa nem sequer leva em consideração a nanotecnologia e os produtos transgénicos, que já invadiram a cadeia alimentar. De acordo com a agência de protecção ambiental dos E.U.A. cerca de 2,5 biliões de libras de químicos tóxicos são libertados anualmente pelas indústrias. E não é que as autoridades estão mais preocupadas com uma planta que produz um químico natural que ajuda na aprendizagem e na memória chamado nicotina? Isto é mesmo para rir. Consegue-se ver o que é que a educação/doutrinação convencional faz ao cérebro? Respiramos milhares de químicos cada vez que inspiramos ar, quer queiramos ou não, e quer estejamos ou não sentados ao lado de um fumador. O ar exterior contém os piores cocktails de poluentes, muita gente pensa que a poluição do ar tem efeitos nos pulmões, mas a exposição aos gases do trânsito automóvel e à poluição do ar também pode despoletar ataques de coração. Mas o povo está correcto: a poluição do ar causa cancro do pulmão. Um estudo que há muito era esperado, e feito pelo governo, em mais de doze mil mineiros, descobriu que a exposição aos gases de motores a diesel aumentava significativamente o risco de cancro no pulmão. Para não fumadores o risco era sete vezes maior. Os autores do estudo dizem “também observámos uma interacção entre fumar e uma acumulação de quinze anos de exposição aos gases de motor a diesel era tal, que o efeito de cada uma destas exposições era atenuada na presença de níveis elevados da outra”. O que é que isto significa? Significa que a investigação sugere que as pessoas que fumam são menos vulneráveis aos efeitos tóxicos da inalação dos gases de diesel do que as pessoas que não fumam.
Não fazem ideia de quantas vezes encontrámos uma e outra vez as propriedades protectoras do tabaco. Quando se trata por exemplo da poluição da indústria petroquímica, fumar é realmente uma bênção que vem do Céu. Tomemos por exemplo este relatório: pessoas com trabalhos com grande exposição a gases do petróleo, névoas e aerossóis têm uma grande prevalência de sintomas de problemas respiratórios, problemas neurológicos e sensibilidades químicas maiores do que em trabalhadores não expostos a isto. Entre os trabalhadores com exposição elevada, os não fumadores relatam maiores prevalências de sintomas de bronquites crónicas do que os fumadores. Sintomas de doenças crónicas que incluem apneia do sono, pneumonia, outras condições pulmonares, sinusite crónica, problemas dos ouvidos, asma, rouquidão persistente... (Annie O Neill, uma estudante formada no Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública da Escola de Medicina de Yale, realizou um estudo na ACAT e AFER, as duas organizações sem fins lucrativos que investigam os efeitos na saúde nas limpezas EVOS - derrames de petróleo de Exxon Valdez - levou a cabo investigações independentes sobre a limpeza de Exxon e uma investigação para a compreensão subjectiva dos problemas de saúde crónicos entre os trabalhadores de limpeza EVOS para a sua tese de mestrado).
Querem saber mais sobre o verdadeiro inimigo? Como escreveu Laura
Knight Jadczyk, pouco depois das fugas radioactivas de Fukuchima:

Bem, pensar sobre isto e sobre o medo de um desastre nuclear levou a fazer-me a seguinte pergunta: porque é que ninguém se alarmou por causa dos testes nucleares que se têm estado a fazer em todo o Planeta desde a segunda guerra mundial? Quero dizer, não é preciso fazer mais nada do que dar uma vista de olhos ao mapa de explosões nucleares desde 1945 e perguntar se isso não são muitíssimas explosões radioactivas caindo em todo o Planeta, até algumas vezes no nosso próprio quintal, e porque é que sobre isto nunca ninguém disse nada. (...)
Resumindo, embora eu acredite que o que está a acontecer em relação ao desastre nuclear no Japão é muito pior do que dizem as autoridades, não creio que haja razão para agora aumentar a histeria. O momento para ficar histérico já passou há muito tempo. Já estamos envenenados e ainda não sabemos.

O mapa em lapso de tempo a que ela se refere é o vídeo “1945 - 1998” feito por Isao Hashimoto, aqui documentam-se 2053 explosões nucleares feitas em vários locais do mundo e nem sequer se contam os testes realizados pela Coreia do Norte, este vídeo é baseado numa informação elaborada por Nils-Olov e Ragnhild Ferm.
Enquanto isto, perdura a luta contra o tabagismo que nos leva a acreditar que fumar é praticamente a única causa dos problemas de saúde de toda a humanidade.
Antes da legislação fascista antitabaco, as pessoas em Espanha, Itália e França eram felizes a fumar, e por isso desfrutavam de uma esperança de vida muito maior do que a dos E.U.A. onde havia muito menos fumadores. O que é certo é que nos E.U.A. foram detonadas mais bombas nucleares do que em qualquer outro País. O professor Chris Brusby, Secretário Científico do Comité Europeu para os riscos da radiação, explica que é provável que estejamos só a ver a ponta de um iceberg radioactivo bastante desagradável. Numa conferência em Estocolmo, em 2009 disse:

“O índice global de mortalidade na era nuclear até 1992 foi horripilante. Segundo os cálculos objectivos feitos pelo Comité Europeu para os Riscos da Radiação (usando a exposição à radiação proveniente de armas) produziram-se (até 2003) 61 milhões de mortes de cancro; 1.600.000 mortes infantis; 1.880.000 mortes de fetos. Houve uma perda de qualidade de vida em 10% (em termos de doenças e efeitos do envelhecimento). A culpa disto pode ser posta directamente à porta dos cientistas e administradores (OMS, UNSCEAR, ICRP) que desenvolveram e apoiaram estes modelos científicos de risco. Este é um crime de guerra de magnitude muito maior do que qualquer outro que já ocorreu na história da Humanidade”.

Então, aqui o temos.Sim, estamos a ler correctamente; enquanto médica, não desencorajo os meus pacientes fumadores, neste mundo cada vez mais stressante. O que faço é sugerir-lhes que escolham tabaco e papéis orgânicos, ou a adoptar costumes mais tradicionais como os de fumar cachimbo ou charutos. As pessoas mais inteligentes na Terra fumavam e é realmente um verdadeiro sinal dos tempos que fumar seja tão desencorajado nesta cultura moderna e zombi.” 




O mundo está cheio de coisas óbvias, que ninguém, nem por acaso, observa!”- Sherlock Holmes.


E agora um excerto de “Let's All Light Up”, com curiosidades da legislação FASCISTA contra o fumo de Tabaco.

“(...)
Precisamos de considerar a história das proibições de fumar. Através da História banições e proibições introduzidas por regimes déspotas e totalitários foram e vieram. Na Europa, as mais recentes e anteriores à legislação repressiva contra o fumo na Irlanda eram as leis antitabaco introduzidas pelo III Reich durante o regime curto mas devastador dos nazis na Alemanha. Apesar de alguns castigos muito duros para quem desobedecesse às leis que incluía até a morte, o tabaco e os fumadores continuaram a crescer. Mostramos a seguir algumas das proibições falhadas que foram introduzidas através dos tempos incluindo a proliferação de proibições revocadas depois de algumas proibições falhadas na América.

Ano de 1575

México:

O primeiro registo de uma lei que proibia o tabaco ocorreu através da Igreja Católica Romana proibindo fumar em todos os Templos das Colónias Espanholas.

Ano de 1600

Mundialmente:

Os Papas proíbem de fumar nos locais sagrados e em todos os lugares de adoração. O Papa Urbano VIII ameaça com a excomunhão todos os que fumem ou cheiram tabaco nos locais sagrados.

Ano de 1612

China:

Decreto Real proíbe o uso e o cultivo do tabaco.

Ano de 1612

Mongólia 

O Imperador mongol proíbe o uso do tabaco. Quem quebrasse esta lei enfrentava a pena de morte.

Ano de 1620

Japão:

É banido o uso do tabaco.

Ano de 1632

América:

O primeiro registo da proibição de fumar aqui ocorre quando é introduzido em Massachusetts a banição de fumar em lugares públicos.

Ano de 1633:

Turquia:

O Sultão Murad IV proíbe o fumar e no seu tempo quase dezoito pessoas são executadas por dia, por quebrar esta lei.

Ano de 1634

Rússia:

O Czar Alexis proíbe o fumo. Quem fosse culpado desta ofensa, pela primeira vez arriscava-se a ser chicoteado, a que lhe cortassem o nariz e o exílio para a Sibéria, os culpados pela segunda vez, enfrentavam a pena de morte.

Grécia:

A Igreja grega proíbe o uso do tabaco afirmando que o fumo do tabaco foi o responsável pela intoxicação de Noé.

Ano de 1638

China:

O uso e distribuição de tabaco é declarado crime e os condenados são decapitados.

Ano de 1639

América:

O Governador de Nova Amesterdão proíbe  fumar na cidade.

Ano de 1640

Butão:

O fundador do Butão moderno, Shabdrung Ngawang Namgyal, introduz a primeira proibição de tabaco no seu país, tornando-o interdito em todos os edifícios do Governo.

Ano de 1647

América:

É permitido fumar uma vez por dia, mas fumar em público é proibido, em Connecticut.

Ano de 1650

Itália:

O Papa Inocêncio X cria um decreto proibindo de fumar em Roma de S. Pedro.

Ano de 1657

Suíça:

É proibido fumar em todo o País.

Ano de 1674

Rússia:

É introduzida a pena de morte para o crime de fumar.

Ano de 1683

América:

Primeiro registo das primeiras leis proibindo fumar no exterior. São introduzidas multas.

Ano de 1693

Inglaterra:

Primeiro registo de ser proibido fumar em algumas áreas do Parlamento. As banições e proibições tornaram-se raras durante os séculos VIII e XIX. O comércio do tabaco tornou-se uma fonte importante para monarcas e dirigentes e as proibições do tabaco foram revogadas. Até o Papa abriu uma fábrica de tabaco em 1779.


Ano de 1719

França:

Fumar é proibido, com excepção de algumas províncias.

Ano de 1818

Estados Unidos da América:

Fumar é proibido nas ruas de Lancaster. O Prefeito da cidade é multado quando se torna o primeiro homem a quebrar a lei.

Ano de 1840

Estados Unidos da América:

Fumar é proibido em Boston.

Ano de 1893 

Estados Unidos da América:

O Estado de Washington introduz legislação proibindo a venda e o consumo de cigarros.

Ano de 1898

Estados Unidos da América:

Cigarros são completamente banidos no Estado de Tennessee.

Ano de 1900

Estados Unidos da América:

A venda de cigarros é agora ilegal em quatro Estados.

Ano de 1904

Estados Unidos da América

Uma mulher é condenada a trinta dias de cadeia, por um Juiz em Nova Iorque, pelo crime de fumar em frente aos seus filhos.

Ano de 1905

Estados Unidos da América:

A proibição é introduzida no Estado de Indiana.

Ano de 1907

Estados Unidos da América:

Passa uma lei em Washington a proibir o fabrico, venda, troca ou oferta de cigarros ou de papel para cigarros.

Ano de 1914

Estados Unidos da América:

Fumar é proibido no Senado.

Ano de 1922

Estados Unidos da América

Existem agora leis proibindo o fabrico, possessão e uso de cigarros em quinze Estados.
Hitler era fervoroso contra o tabaco e foi um cruzado para a causa antitabaco. Ele financiou pessoalmente a investigação sobre os perigos do fumo e claro que os resultados desse estudo não espantam, dado o facto do seu regime tender a apoiar as suas ideias de que fumar era um mal, do qual a raça ariana devia libertar-se. Muitos dos estudos que foram feitos durante o III Reich são a base dos argumentos usados ainda hoje em dia por pessoas que procuram impor proibições repressivas para o uso do tabaco. Hitler declarou, uma vez que “o tabaco era a raiva do homem vermelho contra o homem branco”. Em 1939, foi instituído o Secretariado Nazi contra os perigos do álcool e do tabaco, seguindo-se em 1942 a criação do Instituto para a Luta Contra os Perigos do Tabaco. Os nazis foram os primeiros a utilizar e a cunhar o termo “fumador passivo”. Debaixo do regime nazi foi imposto ao povo alemão o maior conjunto de regulamentos e restrições sobre o tabaco, alguma vez vistos em qualquer nação até hoje. O próprio Hitler demonstrava interesse particular nesta área e muitas vezes verificava pessoalmente a implementação da sua política antitabaco.

- Proibições e restrições da Alemanha Nazi

A Força Aérea Alemã proibiu o fumo em 1938.

Os Correios introduziram a proibição.

Também foi proibido em muitos locais de trabalho, escritórios governamentais, hospitais e casas de repouso.

O Chefe da SS, Heinrich Himmler, anunciou a proibição para todos os polícias em serviço, em 1939.

Os soldados foram proibidos de fumar nas ruas, em marchas e mesmo em períodos de descanso.

Sessenta das cidades alemãs proibiram fumar em transportes públicos.

Era proibido fumar nos abrigos antiaéreos. Alguns tinham salas para fumadores.

O tabaco era negado a qualquer mulher que estivesse grávida.

Foi proibido fumar em muitos cafés, bares e restaurantes.

Mulheres com menos de vinte e cinco anos não podiam fumar.

Restaurantes e cafés não podiam vender cigarros a clientes do sexo feminino.

Em Julho de 1943, tornou-se ilegal fumar em público, para qualquer pessoa com menos de dezoito anos.

Foi proibido fumar em todos os comboios e autocarros alemães em 1944. Esta iniciativa partiu do próprio Hitler, que dizia estar preocupado com a exposição dos motoristas do sexo feminino ao fumo do tabaco.

Ano de 1973


Estados Unidos da América:

O Estado de Arizona torna-se o primeiro desta nova onda de proibições a fazer passar uma lei, proibindo fumar em locais públicos.

E, a marcha contra o tabaco continua.

Mas, só porque esta marcha é para proibir as pessoas de fumar não pensemos que aqueles que nos querem impor estas leis levam isto muito a sério. Fumar é proibido em Washington D.C., mas não no edifício do Congresso. Quando a lei, que proíbe fumar, entrar em vigor haverá pelo menos um local na cidade sem a obrigação de a cumprir. O edifício do Congresso é beneficiário de uma espécie de imunidade diplomática às leis…Porque o resto do país se virou contra o fumo com enorme zelo o Congresso teimosamente e alguns diriam até orgulhosamente recusou ceder.…Mesmo em Estados que proibiram totalmente fumar em lugares públicos tem havido quezílias rodeando o tabaco e estabelecimentos do Governo, que estão mais sujeitos a quem faz as leis mas não às leis…Parece haver uma confluência de forças culturais e demográficas em jogo nos edifícios do Governo em que quem faz as leis tem um comportamento arrogante. O Congresso determinou que há regras para nós e outras regras para eles. E as regras para eles são, na generalidade, mais agradáveis do que as regras para nós.

Mas não é só no Congresso dos E.U.A.!

O Parlamento Europeu abandonou a proibição de fumar, quarenta e três dias após ter entrado em vigor. A proibição foi introduzida nos dois edifícios, em Bruxelas e em Estrasburgo. Contudo deputados e staff enfurecidos pelo desaparecimento das suas áreas para fumadores, começaram a fumar em todo o lado, no edifício, forçando assim o abandono da proibição. A inversão desta proibição é um grande ataque aos fanáticos antifumo que tinham andado a forçar o Parlamento Europeu no sentido da introdução da proibição de fumar, em toda a Europa. Ao colapso da proibição segue-se uma revolta aberta causada pelos legisladores e outros trabalhadores nos edifícios do Parlamento Europeu. Um deputado inglês disse ter ignorado a lei, desde o principio e que tem fumado em mais sítios do que antes desta lei “não quero que me digam o que posso e o que não posso fazer”. O Parlamento Europeu não pode esperar agora que os cidadãos obedeçam a estas proibições tontas, uma vez que os próprios legisladores ignoraram e abandonaram a sua própria proibição. O lobby antitabaco descreve este abandono como escandaloso e declara que é um gozo às propostas da própria Comissão Europeia para proibir o fumo do tabaco. Supomos que os nossos dirigentes saibam algo que nós não sabemos? Ou, pelo menos, eles esperam que as pessoas não dêem muita atenção ao que se passa e não façam muitas perguntas.

- Investigações e pesquisas como:

Estudo determina que fumar evita a doença de Parkinson!

Fumar e a cafeína podem proteger contra a doença de Parkinson!

A nicotina ajuda pacientes com Parkinson e Alzeihmer!

Descobriu-se que a nicotina protege contra danos cerebrais do tipo Parkinson!

A nicotina diminui sintomas de depressão em não fumadores!

Os cientistas identificam regiões do cérebro onde a nicotina causa melhorias na atenção e outras capacidades cognitivas!

Será que fumar é bom para algumas pessoas?!?!

Para o caso de pensarmos que os Governos decidiram  atacar o tabaco para o nosso próprio bem, pensemos duas vezes. Há muitos estudos que sugerem que problemas cuja causa é apontada aos cigarros podem ter causas completamente diferentes, e essas sim, os Governos e as Grandes Corporações estão muito interessados em esconder. (...)
Audrey Hepburn em “Breakfast at Tiffany's”

Este artigo continua com estudos muito interessantes sobre a alimentação e a quantidade de doenças que não são causadas por fumar e das quais se culpa o tabaco.
 Estão aqui ligações para o artigo em inglês, (também existe no próprio site da autora, noutras línguas, como Espanhol e Francês).